Entenda por que um consórcio pode ser mais vantajoso que financiar

A melhor forma de adquirir um bem seja ele um imóvel ou automóvel sempre será a compra à vista, porém nem todo mundo tem disciplina para poupar dinheiro, portanto para quem não possui dinheiro suficiente e mais importante, não tem pressa de adquirir o bem, fazer um consórcio mostra-se mais vantajoso que um financiamento.

Ao entrar no consórcio, o consumidor entra em um grupo que reúne pessoas com o objetivo de formar uma poupança. Os participantes pagam parcelas mensais e, mensalmente, um deles será sorteado e recebe a chamada “carta de crédito” que será usada para adquirir o bem.

Ao contrário de um financiamento, no consórcio não existe juros, em vez disso, o consumidor paga uma taxa de administração que pode custar até dez vezes menos do que o juros aplicado pelas financiadoras e bancos. Da mesma forma que um financiamento, o custo das taxas de administração dependerá do prazo total do pagamento.

“Para quem não tem o hábito de poupar, o consórcio é uma forma de fazer uma poupança forçada para realizar o sonho, e essa é sua principal vantagem”, explica Marcelo Prata, presidente do Canal do Crédito, especialista em financiamento.

Dessa forma, o consórcio funciona como uma poupança para quem tem um objetivo definido, o consórcio é feito para quem não tem a necessidade do bem de forma imediata, por isso possui um custo menor, no lugar do imediatismo entra o planejamento financeiro.

Quando o consórcio não vale a pena?

Não entre um consórcio sem ter total ciência do que está fazendo, as taxas da administração variam bastante de uma administradora para outra, se a taxa for muito alta e próxima dos juros oferecidos pelo gerente do banco, financiar pode ser mais vantajoso, visto que será adquirido o bem de imediato.

No consórcio o “fator sorte” é determinante, pois não existem garantias de contemplação antes do fim do consórcio, por isso é que não deve existir nenhum tipo de imediatismo na hora de contratar um consórcio.