DWS Corretora
Carregando...

Por que investir no futuro do seu filho?

Postado em: 10 de outubro, 2018
Faça sua simulação SIMULAR

Dia das crianças chegando e não sabe como presentar seu filho? A previdência Infantil é o presente ideal para os pequenos, com ela você tem planejamento financeiro e prepara seu filho para o futuro.

Dados da Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (FenaPrevi) demonstram que essa preocupação já existe e está em crescimento entre os brasileiros, as contratações de seguros com coberturas para riscos pessoais somaram mais de R$ 19 bilhões no primeiro semestre deste ano, valor 8,5% superior aos R$ 18,3 bilhões registrados no mesmo período de 2017.

Se você ainda tem dúvidas que a previdência infantil é uma ótima solução para investir no futuro dos seus filhos, veja as dicas da Fernanda Pasquarelli, diretora dos produtos Vida, Previdência e Investimentos da Porto Seguro:

1. Incentivo fiscal: após escolher a previdência privada, você pode optar pela modalidade PGBL, se declara Imposto de Renda no modelo completo e com isso, deduzir contribuições e aportes em até 12% da sua renda bruta anual. A vantagem disso é que se você usar esse limite de deduções, você terá mais restituição de IR, que poderá ser reaplicada no plano do seu filho, aumentando ainda mais a reserva.

2. Investimento de longo prazo, sem “come-cotas”: planos de previdência são tributados no resgate ou no recebimento da renda e, dessa forma, o dinheiro aplicado rende de forma contínua, sem tributação. Não existe o chamado “come-cotas”, que deduz cotas dos fundos semestralmente com alíquotas que variam de 15% a 20%, como em outros investimentos. Sem o “come-cotas” há um significativo ganho no resultado final do seu investimento.

3. Tributação favorável: ao fazer um plano de previdência privada, você pode optar pelo regime de tributação regressiva. Assim, cada contribuição aplicada num período de mais de 10 anos terá uma cobrança de imposto de renda de 10% na hora de retirar o dinheiro ou de receber a renda, bem menor que a praticada nos demais fundos de renda fixa ou variável não previdenciários, que chega a 15%.

4. Aplicação em multifundos: o dinheiro do plano de previdência é aplicado em multifundos, com nível de risco alinhado ao perfil do cliente. A longo prazo, os rendimentos em renda variável podem ser maiores que os em renda fixa. Dessa forma, você pode aplicar a maior parte do dinheiro em fundo de renda variável no início do plano e em renda fixa no final. Essa estratégia poderá influenciar os rendimentos do seu investimento e reduzir os riscos de perda.

5. Simulação: antes de escolher o investimento que melhor te atende e se adéqua às suas necessidades, estude e entenda as opções oferecidas no mercado e o plano que atende às suas expectativas para o amanhã. Simule com especialistas de confiança e escolha empresas que sejam referência no mercado.

Para Fernanda Pasquarelli, simular um investimento e entender os ganhos a curto, médio e longo prazo é fundamental no momento em que a escolha de aplicação for feita. “Considerando uma rentabilidade de 8% ao ano, se você contratar o Porto Seguro Previdência Infantil para uma criança de 1 ano de idade, contribuindo mensalmente com R$ 300, o seu investimento estará em torno de R$ 227 mil quando ela tiver 24 anos. Um bom começo de vida adulta para iniciar um negócio ou fazer o que quiser”, explica Fernanda.