Coparticipação em planos de saúde: O que é e como funciona?

Artigo coparticipação DWS

Afinal de contas, vale apena investir na coparticipação?

Veja porque investir em planos com coparticipação é algo cada vez mais vantajoso (principalmente para o seu bolso).

Cuidar da saúde é provavelmente uma das principais preocupações do brasileiro atual, principalmente quando levamos em consideração o momento atual que estamos vivendo.

A verdade é que sim, a pandemia causada pelo coronavirus realmente teve influência na tomada de decisão de muitos brasileiros, mas antes tarde do que nunca certo?

Entretanto esse período também foi responsável por aumentar as buscas dos planos com coparticipação.

Pensando nisso nós da DWS desenvolvemos um artigo completo que vai te ajudar a sanar todas as dúvidas que você pode ter sobre o tema!

Veja também: Carência em planos de saúde: Tudo o que você precisa saber!

O que é a coparticipação? Como ela funciona?

De uma forma bem simples e geral, essa modalidade de plano de saúde faz com que você pague uma mensalidade inferior a parcela normal, mas isso só é possível porque o usuário também paga uma parte dos custos da sua conveniada.

Ou seja, você não precisa pagar as mensalidades abusivas que a maioria dos planos de saúde cobram e ainda por cima vai conseguir garantir a segurança de toda a sua família.

Além disso, a coparticipação é uma das principais alternativas que as empresas vem adotando nos últimos anos. Afinal de contas, é possível reduzir o custo do plano e ainda sim garantir um atendimento de qualidade para seus colaboradores.

Os principais benefícios da coparticipação são:

  • Sua cobrança é apenas em consultas, atendimentos, exames e tratamentos. A coparticipação não é cobrada em cirurgias ou internações.
  • Diminui o valor da mensalidade (de acordo com o plano e operadora contratada).
  • Seus colaboradores vão ter a mesma qualidade durante o atendimento médico.

Também é sempre interessante avaliar qual a situação atual da sua empresa antes de investir, assim você garante em escolher o plano de saúde correto para a sua empresa e seus colaboradores.

*Está com o tempo curto ou não consegue ler o texto? Não tem problema! Veja o vídeo completo logo abaixo!

Quais são as empresas que devem ou não escolher a coparticipação?

Bom, é muito difícil avaliar um negócio de uma maneira geral, principalmente sem conhecer os pontos fortes e fracos de cada empresa.

Entretanto, existe sim um determinado tipo de padrão visto nas empresas que tem sucesso na “instalação” dessa modalidade de plano de saúde.

Na maior parte dos casos, empresas que contam com colaboradores que possuem o plano e usam de forma esporádica conseguem obter melhores resultados, principalmente no corte de custos.

Em contrapartida, se o colaborador tende a fazer o uso do plano de saúde com mais intensidade e frequência, é bem provável que o seu negócio seja mais feliz na escolha de outra modalidade.

Geralmente beneficiários com recém nascidos, com crianças menores de 8 anos, gestantes e pessoas na melhor idade fazem parte deste padrão.

Lembrando que primeiramente o mais importante é avaliar em qual critério a sua empresa se encaixa, afinal, tudo vai depender do pacote, operadora e modalidade da empresa.

Quais são as taxas e custos cobrados?

“Bom, na teoria tudo parece ser ótimo, mas qual a economia real que a minha empresa pode ter após investir em planos com coparticipação?”

Números, números e mais números! Eles podem parecer complicados no inicio, mas a falta de uma boa organização pode levar a sua empresa a falência total.

Por isso se acalme meu amigo empresário, pois agora vamos ser mais específicos e dizer o valor real que a sua empresa pode economizar investindo em coparticipação.

Lembrando que os valores podem variar entre as operadoras, sempre entre duas opções: Fixo ou uma % tabelada pela operadora.

A ANS (Agência nacional de saúde) também definiu algumas regras para as operadoras:

  • Proibição integral do serviço pela operadora.
  • Isenção da coparticipação em diversos tipos de tratamentos.
  • O valor da coparticipação não poder ser superior a 40% do valor do procedimento.

O que as pesquisas falam?

Se você ainda não está convencido, aqui vão mais alguns números para a sua análise:

  • Uma das pesquisas realizadas pela Metlife pode constatar que 73% dos funcionários poderiam pagar uma parte dos gastos com saúde.
  • Mais de 70% dos brasileiros não possuem plano de saúde particular simplesmente por não poderem arcar com o alto custo cobrado pela operadoras.
  • Já passa de 75% o percentual de brasileiros que avaliaram a saúde pública ou ruim (esse número era de 61% em 2011).

Ou seja, com o crescimento da insatisfação da maioria dos brasileiros com o sistema público de saúde, o melhor que a sua empresa pode fazer é investir na coparticipação.

Com esse modelo de plano de saúde, todos saem ganhando!

O seu colaborador fica feliz por finalmente ter encontrado uma empresa que se preocupa com ele e você por conseguir cuidar de seus funcionários sem precisar investir em uma fortuna em um plano de saúde convencional.

Em resumo, a coparticipação é sim uma das melhores alternativas de planos de saúde, principalmente para você empresário que esteja procurando diminuir os custos de sua empresa.

Entretanto, é sempre preciso ter cautela na hora da escolha da operadora e o tipo de flexibilidade do plano. Afinal de contas, estamos falando da saúde dos seus colaboradores!

Por isso escolha a DWS! Nós somos uma corretora especializada com mais de 10 anos no mercado e centenas de clientes satisfeitos com o nosso trabalho!

Para obter mais informações clique aqui e acesse o nosso simulador 100% online e gratuito!

Veja também os clientes da DWS clicando aqui!

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *